Mula manca

mula
Ontem, pela primeira vez em 21 semanas de planilha, abortei um treino.
Nessa última semana venho sentindo uma dor xarope perto daquele ossinho na parte externa do tornzelo. Pela consunta que tive com o “Dr. Google”, o nome da criatura é tendão fibular.
Como pode uma coisinha tão pequena incomodar tanto!
Já no aquecimento ontem, um trotinho de 10 minutos, a coisa tava lá dando sinal de vida, mas foi só começar a correr que não teve jeito, começou a doer bastante e tive que parar.
Voltei pra casa parecendo um pangaré velho e puto da vida.
Pra me irritar mais ainda, minha bolsinha de gelo tava fora do freezer… tive que dar uma de McGiver e improvisar. Raspei o gelo com uma colher e botei num saquinho de supermercado. Coisa linda.
Amarrei aquela coisa no tornozelo com uma toalha velha e fiquei de molho no sofá por 20 minutos (a cada 10 tirava o gelo por 3 min.).
Tava uma cena tosca demais. Eu, com aquela cara amarrada, com um saco de supermercado verde limão com gelo de congelador dentro, amarrado com uma toalha velha laranja… parecia aqueles mendigos estrupiados que ficam pedindo um troco nas calçadas.
Mas pelo menos a dor melhorou e o inchaço diminuiu um pouco. Tomei um banho, jantei e fiz mais uma vez o gelo.
Liguei pro Rogério, meu treinador, e ele disse que isso é normal, provavelmente por estar me adaptando aos treinos mais fortes e que, com gelo e diminuição na carga de treino, vai sumir rapidinho. Da outra vez com minhas fortes dores no quadril ele acertou na mosca! O negócio é obedecer.
Hoje é day-off forçado, muito gelo e por minha conta mesmo grudei um Salompas no maledeto. Se não ajudar pelo menos não atrapalha, eu acho.
Mas fazer o que né, antes essa dor por esforço na corrida do que uma dor “nas juntas” de ficar com o bundão colado no sofá, assistindo XV de Piracicaba e Catanduvense pela 3ª divisão e se empanturrando de baconzitos. Eu heim! Tô fora!
E vamos corr… mancando!

Anúncios

23/06/2009 at 12:51 7 comentários

Meu ouvido não é penico!

meus_chefes
Semana passada li um post no blog do meu colega-corredor-blogueiro Doca (http://corridasdodoca.blogspot.com/) que achei “do car…..” como se diz no linguajar publicitês.
Me matei de rir com as situações que ele descreve e acho que todos nós já passamos por isso.
Pedi autorização pra ele pra postar na íntegra o que ele escreveu.
Se divirtam e vejam se a carapuça não cai como uma luva:

“Os treinos vão indo muito bem, algumas metas traçadas e outros objetivos atingidos porém aquele maldito comentário “Atletas de fim de semana” continua emputessendo minha vida. Vou aproveitar esse post e desabafar tudo o que me deixa puto da vida!
Você corredor, tenho certeza que vai concordar comigo!

Tudo começa quando eu falo pra alguém que eu corro. A coisa mais engraçada é ver a reação das pessoas que nunca correram quando escutam que eu corro. “Você? Correndo?? Até parece!!!” e enquanto isso estão me analisando dos pés até a cabeça. E continuam “Correndo de quem? Correndo pra que? Porque você acorda ao cedo pra fazer isso? Que sem graça”. É verdade, eu corro, não sou magro, tenho aparência cansada e adoro um bar! Mas eu corro e aposto um chopp que chego na sua frente!

Depois sempre vem “mas maratona tipo a São Silvestre?” Antes de tudo, nem toda corrida na rua é uma maratona, e existem muitas além da São Silvestre. Maratona é corrida mais nobre e tem SEMPRE 42.195 metros. Prestem atenção, a São Silvestre não é uma maratona! Está longe disso! Tem apenas 15km.

E logo na sequência eles emendam “O irmão do fllho do cunhado do primo do chefe do meu tio tem um amigo que correu a São Silvestre. Ah, ele foi bem, acho que terminou em 3 horas, mas ele era dedicado”. Eu fico indignado com a quantidade de chutes e a distância da relação com tal atleta. Esse sim deve ser de fim de semana. E outra, sempre é um tempo altíssimo, mas esse atleta distante é um corredor de verdade. Eu sou apenas um de fim de semana.

Ai vem “Ganhou? Não? Ficou em que lugar? A quantas horas do queniano?” É claro que nunca vou ganhar, tô nem ai pro tempo do queniano e vou ficar muito feliz se terminar num tempo melhor que o da minha última prova. E você pra perguntar uma asneira dessa eu tenho certeza que nunca foi assistir uma corrida e muito menos sabe o que é o chip!

Ai continuam “E aquele gel, coisa horrorosa, como você toma aquilo, que frecura!” Essa parte eu prefiro não responder. É claro que o Gel não é uma Norteña, mas está longe de ser uma Kaiser. Mas precisamos dele, é nossa energia para poder aguenatar as baboseiras que nos perguntam depois.

Ai apontam pro tênis. Aquele All Star surrado, com uns 10 anos de uso, cheio de silver tape e várias partidas de futebol no histórico “Esse tá bom, né?” É, tá bom pra te dar uma bela canelite! “Mas pra que gastar R$400 num tênis!” Justamente, pra minha corridinha de fim de semana um All Star está ótimo! EU sou uma besta!

Pronto! Desabafei! Só não venham me perguntar o que é correr a 5:10/km! Afinal, o sábado está chegando e preciso ir me alongando!”]

E vamos correndo!

22/06/2009 at 12:03 6 comentários

Essa semana já era…

garfield
Bom final de semana aos que vão treinar, aos que vão descansar, aos que vão namorar, aos que vão procurar namoradas(os), aos baladeiros, festeiros, aos que vão curtir a família, aos que vão aproveitar esse friozinho para “aumentar” a família, aos que vão viajar, aos que só “viajam” na maionese, aos que pulam cedinho da cama pra correr e aos que correm pra cama cedinho, aos que estão só, aos que estão juntos, para aqueles que trabalharam muito, para outros que estão procurando trabalho e até para aqueles que só dão trabalho, bom final de semana para os amigos, para os desconhecidos, colegas, blogueiros e parceiros.
E segunda cá estamos novamente pra mais uma semana de conquistas!
E vamos correndo!

19/06/2009 at 20:36 2 comentários

Arigatô!

Depois de assistir ao comercial da Asics, postado ontem no blog Correria, da revista Runner´s, procurei mais vídeos sobre a marca e encontrei esse que achei interessantíssimo.
É um documentário produzido pela Discovery Channel sobre a tecnologia e fabricação dos tênis da marca.
Particularmente, e dentro do meu ainda pequeno conhecimento sobre esse mundo das corridas, fico também com o Asics. Tenho um Mizuno e um Ironman (da Track&Field) mas nenhum se compara ao meu Asics Nimbus 10. Simplesmente espetacular! Tudo bem que custa os olhos da cara, mas se a gente analisar todos os gastos que teremos com antiinflamatórios e fisioterapia se corrermos com um Bamba, vale cada centavo investido.
Se tiverem um tempinho sobrando, assistam até o final.


E vamos correndo!

19/06/2009 at 12:40 3 comentários

Fui criança de rua

crianca
Vou confessar… tenho muita saudade do meu tempo de criança.
Daquele tempo onde não existia compromisso, responsabilidades, a vida era apenas uma grande brincadeira.
Tempo em que passava mais tempo na rua do que em casa.
Corríamos o dia todo. Ou atrás da bola no futebolzinho na calçada, ou dos vizinhos depois de aprontar alguma, corríamos pra fugir da turma da rua de baixo que sempre queria brigar com a gente, na brincadeira de pega-pega, ou apenas corríamos por correr.
Idade tenra, aquela energia de sobra, onde era impossível ficar parado com tantas opções pra brincar.
Me lembro de passar tardes e tardes jogando taco, arremessando e correndo feito louco pra cruzar os tacos no meio da rua, ou correndo muito pra buscar a bolinha quando o adversário acertava aquela tacada “na veia”.
A gente corria pra fugir da chuva, corria pra brincar na chuva. Os cambitos não paravam nunca.
Corria ainda mais quando as mães viam nos chamar pra almoçar. Colheradas rápidas, praticamente engolindo inteira a comida pra poder voltar correndo pra rua.
Tempo bom.
Hoje vejo essas crianças presas em apartamentos, condomínios, enfiadas na frente de computadores, playstations, solitárias.
Não sabem e vão crescer sem saber o que é ralar os joelhos numa calçada áspera depois de uma dividida no futebol. Nem saber o gosto daquela fruta roubada no pé do quintal do vizinho. Essa geração passa horas e horas assistindo tv devorando pacotes de bolacha.
É muito triste saber que meu filho não terá a mesma infância livre que eu tive, que não poderá passar o dia todo leve e solto, correndo como eu corria.
Poucas vezes levei-o passear de bicicleta por pura falta de interesse dele mesmo pelo brinquedo que na minha época era o maior sonho que uma criança poderia ter.
Minha esperança é que com o tempo ele se interesse em me acompanhar pelas corridas por aí afora e que possa correr os muitos quilometros que eu corri quando criança.
E vamos correndo!

18/06/2009 at 14:13 3 comentários

Só P, M, G e kit-merreca.

kung-fu-panda
Novamente trago a tona a questão do tamanho das camisetas que ganhamos, ou melhor, compramos a cada prova que participamos e seus kits.
Se nas lojas já é difícil a gente encontrar roupas com medidas padronizadas, o que dizer dessas camisetas ditas tecnológicas, muitas delas mais vagabundas que o saquinho do Carrefour.
Acredito que muitas pessoas passam pelo mesmo problema que eu, que estou acima do peso (98k para 1,81m) e que apresentam uma protuberância desconfortável na região abdominal, no português claro, pança mesmo.
Na hora de vestir essas camisetas ficamos mais parecendo um pacote de salsichas embaladas a vácuo do que corredores.
Das poucas provas que participei, a única que ofereceu uma camiseta cujas medidas eram condizentes com um ser humano normal foi a Meia Maratona da Corpore, onde também tinha o kit mais legal até agora.
O pior mesmo foi dessa última corrida aqui de Pira, cujo “kit” era composto por camiseta+barra de cereais… e só.
E olha que a inscrição não foi tão mísera assim, R$ 35,00. Fiquei até contente quando fui retirá-la e a moça disse que tinha GG. Maravilha! Só ilusão.
A não ser que as medidas tenham sido tiradas num anão, e dos pequenos.
Pra piorar ainda mais a situação, poucas provas oferecem a bendita camiseta “GG”, normalmente as únicas opções são P, M e no máximo a G.
Outro dia alguém comentou no blog Correria, da revista Runner´s, que os kits também estão cada vez piores, talvez por causa da procura cada vez maior pela corrida.
Procura maior + grana no bolso dos organizadores + kit vagaba para os corredores = muito lucro. Equação bem lucrativa.
Do outro lado tem as provas para corredores nojentinhos, dondocas e pseudo-celebridades como a Iguatemi Fashion Run, cuja inscrição básica custa R$ 200,00 e a “RUBI” (porque rubi?) custa a pequena fortuna de R$ 1.000,00 (??????).
No kit me parece que vem 2 camisetas da Track&Field e até um tênis performance da Asics. Tudo isso para apenas 5K de prova, 2 voltas de 2,5K ao redor do pomposo shopping.
Voltando às camisetas, guardo todas com a esperança de um dia caber dentro delas. Aos poucos até que tô perdendo, como diz o meu filho, essa “barriga do Kung-fu Panda”.
Chego lá.
Minha próxima prova agora será a do circuito das estações Adidas. Tô curioso pra saber o tamanho da “mardita”, já que a inscrição é bem cara e é a única coisa interessante do kit, que também tem uma latinha (grande utilidade!).
É pagar, e caro, pra ver…
E vamos correndo!

17/06/2009 at 17:00 6 comentários

Pacman

pacman
Para quem tem tendência a Pacman como eu, esses feriadões são literalmente um prato cheio. E esse friozinho então, é a cereja que faltava no bolo para o estrago ser completo.
Até quinta a noite segurei bem como sempre faço em semana de prova. Já na sexta… ai, ai.
Eu e meu filho emendamos o feriado, apenas minha esposa trabalhou (digamos que com uma vontade!).
Moleque em casa, dia chuvoso, frio. Fiquei na cama até mais tarde, até bater aquela vontade de um pãozinho quente… Tá bom, 1 não, 2.
Depois de um tempo o meninão acorda faminto, leite com Nescau e uma tigela de granola com iogurte. Pequei carona na granola.
Lá pelas 10 e pouco o estômago já começava a dar os primeiros sinais de que aquele dia não ia prestar. Abro um pacote de waffles de chocolate e divido até o fim com o pequeno aprendiz de saco-sem-fundo.
Para o almoço até quem o cardápio foi tranqüilo. Fiz um arroz de forno com legumes que ficou uma delícia. Pra quem não sabe, adoro cozinhar, venho de uma família onde praticamente todos os homens são “os caras” na cozinha. Quando eu era pequeno, meu pai teve restaurante. Meu irmão é chef de cozinha do restaurante de um primo, outro tem uma cozinha industrial, enfim, já nascemos com o garfo na mão.
No meio da tarde chuvosa e fria, um filminho com pipoca caiu como uma luva. E meu rebento no embalo. O danadinho é “magro de ruindade” como no dito popular, mas que adora beliscar alguma coisa, isso é fato.
O jantar foi um repeteco do almoço (ainda bem!). Antes de dormir, mais um pouco de granola como tiro de misericórdia.
No sábado a coisa foi mais cruel. Ninguém afim de cozinhar, fomos comer num restaurante pertinho de casa, daqueles famosos “comida-a-quilo-com-churrasco”.
Com o quilo a R$ 26,00, só a minha comanda ficou em R$ 25 e pouco. Por aí dá pra calcular o peso do pratinho né? Pelo menos deixei de lado a sobremesa.
A tarde fui correr na rua mesmo, e pra minha surpresa não é que fiz uns 10K sem correr feito um cão dachshund batendo a barriga no chão? Maravilha! Pelo Polar lá se foram mil e poucas calorias, praticamente eliminei meu primeiro dos 3 pratos que comi.
Domingão tirei o pé do circuito geladeira-fogão-microondas, fechei a boca e voltei na comidinha saudável pra encarar mais uma semana de treino.
Assim de vez em quando pooooooooooode…rs
E vamos correndo!

16/06/2009 at 11:48 4 comentários

Posts antigos Posts mais recentes


Twitter

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Últimos posts

Fit Labore

Acesse o site www.fitlabore.com.br para conhecer os trabalhos desta assessoria esportiva da qual faço parte e venha participar da nossa equipe. Nossos treinos coletivos acontecem às terças e quintas das 18 às 20h na ESALQ-USP e aos sábados ou domingos às 8h no Parque da Rua do Porto.

Mais Acessados

novembro 2017
S T Q Q S S D
« jul    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Visitas

  • 77,806 já correram aqui!

Arquivo